É POP na Web! – Viralizou: Conheça o ruivo que ganhou as redes sociais e o público na internet

Viralizou: Conheça o ruivo que ganhou as redes sociais e o público na internet

por Augusto Vianna (Instagram)

                                                 Foto: Reprodução / Instagram

Ele é cantor, compositor e dançarino! Nos últimos dias um seu vídeo fazendo a dublagem da música bigodinho fininho, cabelinho na régua, do cantor Kevin, o Cris, viralizou na internet e muita gente perguntou nas redes sociais quem era aquele ruivo. Veja abaixo!

Não se classificando como funkeiro e sim como “um artista que gosta de música, e da liberdade que ela proporciona pra poder reproduzir diversos estilos”. Agora você vai conhecer o morador de Campos, interior do Rio, Pablo Carvalho, 24 anos, mais conhecido como Pabrox que ganhou a simpatia do público na internet. Confere aí!

Augusto Vianna – Olá, Pabrox. Conta um pouco pra gente que é o Pabrox?

Pabrox -Oi! Então galera, Pabrox é um artista independente, um cara super do bem, espontâneo, divertido, que faz música, canta e dança.Não se importa muito com o que os outros pensam, por isso gosta de pessoas autênticas, que tomam atitudes genuínas por perto.

 

Augusto Vianna – Na última semana você teve um vídeo que viralizou na internet. Como foi isso e quando você percebeu que estava fazendo sucesso nas redes sociais?

Pabrox- Eu não entendi nada, estava numa festa em Búzios quando meu celular começou a receber muita notificação e quase acabou a bateria.Na volta pra casa recebi a notícia que o vídeo tinha viralizado, foi a melhor onda de final de rolê hahahaha. E ai logo no outro dia eu já tinha recebido mais de 10 mil seguidores só no instagram, e várias mensagens tbm.

 

Augusto Vianna – Você se formou em gestor de RH. Em que momento decidiu se dedicar a carreira artística?

 Pabrox – No caso fiz esse curso praticamente obrigado, nem os professores e os amigos da turma entendiam o que eu estava fazendo ali, pq eu chegava falando das minhas músicas e dos meus projetos e eles querendo trabalhar na área. Mas a minha mãe queria que eu tivesse um curso superior de plano 2.

Eu sempre gostei desse meio artístico, desde pequeno eu escrevia por conta da depressão, e com o tempo por gostar muito de música comecei a criar umas melodias na minha cabeça e escrever pensando na melodia. Porém eu tinha vergonha de mostrar até para os meus amigos, e deixava isso tudo guardado, até que certo dia sofri um acidente de moto, meu capacete rachou no meio com o impacto da batida, tive fraturas e fiquei todo ralado (pois é Ludmilla, eu entendo seu medo).

Na recuperação, fiquei refletindo sobre essa vergonha e certa insegurança no que eu fazia, a partir daí vi que minha vida poderia acabar a qualquer momento e eu não tentar fazer o que eu amava, então, 2 semanas depois de ter me recuperado, comecei a fazer aulas de canto e em seguida gravei minha primeira música.

 

Augusto Vianna – Temos o Pabrox mais dançarino, compositor ou cantor?

Pabrox – Mais Cantor e Compositor do que dançarino no momento. 

 

Augusto Vianna – Você disse em uma de suas redes sociais que “Nem sempre a influência na música é algo que venha da música”. Explica como você leva isso pra sua carreira?

Pabrox – Eu gosto de moda, de design, artes plásticas, e no final das contas tudo isso ta interligado e serve de inspiração para a música.Então eu tento sempre agregar algo do tipo para os meus projetos.

 

Augusto Vianna – Você também se definiu em algumas palavras como maloqueiro, vida louca, da quebrada, porém se define também como “reciprocidade, amor e espontaneadade”. Como é ser essa mistura de sentimentos?

Pabrox -“Maloqueiro, vida loka, da quebrada” foi uma brincadeira com o sotaque paulista que eu amo hahahahaMas eu sou um turbilhão de sentimentos mesmo, acho que é isso que me faz ter atitudes genuínas.

 

Augusto Vianna – Você lançou no seu canal no Youtube o clipe “Homem rebola sim”. Esse clipe é uma mensagem para o público?

Pabrox – Uma mensagem não, um tapa na cara mesmo! hahahaha 

Por que eu acho uma palhaçada esse pré conceito da sociedade de que Homem não dança e Homem não rebola, fiz na intenção de quebrar um pouco esse tabu. E mostrar que você não deixa de ser mais homem por isso, até pq tem uma galera, inclusive amigos próximos que sustentam a família fazendo isso.

 

Augusto Vianna – No último dia 4 de janeiro lançou a música “de novo”. Conta um pouco sobre ela pra gente?

Pabrox – Então hsuahsuahsuAHSUAHS AIAI socorro!Terminei né gente, aí eu tava com um pequeno ranço ainda da pessoa, que um certo dia fomos sair pra jantar e eu escutei a seguinte frase “você vai com essa roupa? parece que ta indo pra um baile funk!” . Pra que né? isso não saiu da minha cabeça, aí na raiva fiz essa música quando terminamos hahahaha

 

Augusto Vianna – O que podemos esperar do Pabrox para este ano de 2019?

Pabrox -Nudes, muita nudes! brincadeira hahahaha! Podem esperar música boa pq se tem uma coisa que vai vir agora é música boa! Então fiquem de olho.